quinta-feira, 28 de maio de 2015

Aécio perde processo que pedia remoção de links do Google e do Bing


O senador Aécio Neves (PSDB-MG) perdeu a ação que movia desde 2013 contra os principais buscadores da internet. Assim, Google, Bing e Yahoo não precisarão excluir dos resultados notícias relacionadas a um suposto desvio de verba de R$ 4,3 bilhões da saúde no estado de Minas Gerais, na época em que foi governador. Seus advogados prometem recorrer contra a decisão.

A equipe jurídica alegava que as notícias sobre o assunto são falsas e foram publicadas com o intuito de enganar leitores na época das eleições, e que teriam sido pagas com recursos públicos para difamar o então candidato à presidência.

Havia, de fato, uma ponta de verdade na história. O Ministério Público de Minas realmente questionava as contas do Estado, por verbas aplicadas em saneamento contabilizadas como investimento em saúde. No entanto, a justiça mineira extinguiu o processo, que, portanto, não deu em nada.

O juiz Rodrigo Garcia Martinez, responsável pelo caso de Aécio contra os buscadores, confirmou que as notícias são falsas, mas rejeitou as alegações de seus advogados, alegando que os sites de buscas são como “bibliotecários virtuais”.

"Se numa biblioteca pedimos um livro, eles o localizam e o trazem. Se o conteúdo é apto a cometer ilícito, o autor é quem deve responder, não a biblioteca ou o bibliotecário, sob pena de realizarmos práticas fascistas, comunistas ou nazistas", explica o juiz. Mesmo considerando as notícias inverídicas, a inibição do acesso às informações por meio de filtros em sites de buscas “é um retrocesso à livre manifestação”, ponderou o magistrado em sua decisão.

O juiz também considera injusto acionar os buscadores em vez dos autores das notícias inverídicas.

Já pensou em gravar com a sua banda em um dos maiores estúdios do mundo? Projeto nacional te leva lá


Aproveita essa chance: a Converse Rubber Tracks abre nesta terça (26) as inscrições para o WorldWide, projeto que vai levar uma banda nacional independente para gravar em um dos 12 maiores estúdios do mundo. Já imaginou tocar no Abbey Road Studios, por onde passaram lendas como Beatles, Pink Floyd e Oasis? E no Sunset Sound, em Los Angeles, onde já tocaram Michael Jackson, Bob Dylan e mais um montão de gente?

Outros estúdios como o Hansa Tonstudio (Berlim) e o Greenhouse Studios (Reykjavik) também fazem parte da lista. O projeto busca promover um intercâmbio entre as comunidades de música. Por isso, vai trazer também uma banda gringa para gravar no estúdio Toca do Bandido, no Rio de Janeiro. E aí, ficou interessado? Saiba mais sobre essa iniciativa e se inscreva no site http://Converse-Music.com/worldwide.

John Frusciante, ex-guitarrista do Red Hot Chili Peppers, anuncia que não gravará mais discos


John Frusciante, ex-guitarrista do Red Hot Chili Peppers , anunciou a sua aposentadoria da indústria musical. Em entrevista ao Electronic Beats (via CoS ), o músico revelou que não tem a intenção de lançar mais discos inéditos.

Eu não tenho mais um público. Nesse último ano eu tomei a decisão de parar de fazer música para outras pessoas, o que eu vinha fazendo desde 2008. Eu senti que se levasse o público em consideração, eu não iria crescer e deixaria de aprender. Para tocar música eletrônica eu tive que praticar muito, isso significa que eu tenho muito material que não foi lançado. Eu cheguei num ponto em que não tenho mais audiência. Eu crio músicas e não as termino, o que significa que eu posso conviver com os sons. Dessa forma a música se torna a atmosfera na qual eu vivo. Eu posso fazer uma linda música clássica ou produzir uma faixa que não tenha um centro rítmico ou melódico", concluiu.

Seu último disco solo foi Trickfinger , que chegou às lojas em abril deste ano. Já novo álbum do Red Hot Chili Peppers ainda não tem previsão de lançamento.

Em setembro, a banda teve as versões demo de algumas músicas divulgadas, entre elas o sucesso "Californication"